quarta-feira, março 29, 2017

A biodiversidade perto de você – Por Bere Adams

A biodiversidade perto de você – Por Bere Adams



Não tem forma melhor de perceber a beleza e a complexidade da vida do que observar e sentir a natureza, da qual somos parte integrante. Embora a nossa Pátria Brasil esteja carente de boas colocações nos mais variados rankings relacionados à qualidade de vida, dentre os demais países do mundo, nós, brasileiros, somos privilegiados, uma vez que temos a maior biodiversidade de flora e fauna do Planeta Terra.

Mas, infelizmente, a vida cotidiana com compromissos inadiáveis impede que a maioria das pessoas dedique tempo para observar a natureza – independente se em espaços urbanos ou rurais e naturais.

Porém, bastam apenas alguns minutos de observação por dia para nos tornarmos mais integrados, conectados à vida e a toda essa maravilhosa biodiversidade do nosso País.

O nosso distanciamento impede que nos sensibilizemos para as importantes questões ambientais que comprometem a qualidade de vida em todo o Planeta, enquanto a aproximação nos evidencia que no ciclo da vida tudo está entrelaçado e que temos grande influência no meio, afinal, somos parte dele e não seus donos.

O nosso distanciamento ou a nossa aproximação com o meio que nos envolve pode ser mensurado diante a resposta para esta questão: “Você conhece a biodiversidade da sua cidade?” Ou seja, para alcançarmos este conhecimento vai depender de como nos relacionamos com a vida que acontece a nossa volta e o quanto nos interessamos em conhecê-la. Nós conhecemos, mesmo, o ambiente onde vivemos? Acredito que a resposta da maioria de nós seja “Não”, ou “Muito pouco”, e poucas serão as pessoas que responderão com propriedade que conhecem a biodiversidade que nos rodeia. Isso me deu a ideia de fazer uma pesquisa on-line, cujos resultados compartilharei em um próximo artigo.

Muitas organizações ambientais desenvolvem trabalhos para levar o conhecimento da biodiversidade local as suas comunidades. Exemplo disto é a publicação “Almanaque da Fauna e Flora do Wallahai”, lançado em 2015 pelo Projeto VerdeSinos em parceria com a prefeitura de Novo Hamburgo/RS . Trata-se de um guia sobre flora e fauna presentes no Vale dos Sinos. O guia pode ser acessado em: http://migre.me/wk5lJ

A partir do momento em que começamos a observar a natureza, certamente teremos inúmeras surpresas, como a de ver uma flor que nunca havíamos visto antes, ou escutar um canto de pássaro diferente... Saberemos também que raramente um pássaro usa o mesmo ninho, e que algumas aranhas conseguem andar sobre a água... E isto é só o começo!

Boas descobertas e se tiver vontade, compartilhe-as comigo enviando mensagem para bereadams@gmail.com


"Penso que a natureza sonha. Montanhas, florestas, mares, rios, lagos, nuvens, cachoeiras, animais, flores - todos sonham um mesmo sonho. Sonham em que um dia chegará o dia em que os seres humanos desaparecerão da face da terra. Pois os dinossauros não desapareceram? Quando isso acontecer, será a felicidade! A natureza estará, finalmente, livre dos demônios que a destroem. A natureza, então, tranquilamente, sem pressa, se curará das feridas que nós lhe causamos." (Rubem Alves)

“Ambiente limpo não é o que mais se limpa e sim o que menos se suja”. (Chico Xavier)

Data da publicação: 27/03/2017

segunda-feira, março 20, 2017

Nossas escolhas


Nossas escolhas – Por *Bere Adams

São inúmeras as mentiras que se tornam verdades, que circulam pelas redes sociais, mas, infelizmente, muitas informações estarrecedoras, que eu preferiria que fossem inverdades, são reais. O grande desafio é identificá-las - apurar a veracidade. A estas me refiro agora, às informações assustadoras, que comprovadamente são verdade, mas passam bem longe da preocupação da maioria das pessoas. Diante delas muitos de nós dizemos, através das nossas ações: “Eu não ligo!”.

Eu não ligo para aquilo que me ofereço de alimento, nem para a minha saúde, quando os meus hábitos alimentares são saciados pelas poderosas indústrias alimentícias, apesar de saber dos malefícios que estes produtos provocam. Eu não ligo para o trabalho escravo, incluindo o de crianças, quando uso vestuário de marcas renomadas que lucram com a exploração humana e tornam vidas desumanas. Eu não ligo para um dos maiores problemas ambientais, que é o desmatamento, quando a base da minha alimentação faz aumentá-lo ainda mais. Eu não ligo para o lixo que produzo, quando não opto por produtos com cunho ecológico que promovem sustentabilidade. Eu não ligo para o desaparecimento do orangotango das florestas tropicais do Bornéu e da Sumatra, quando faço uso de um produto feito a base de óleo de palma, fornecido pela planta que com ele compete, covardemente, pelo uso do meio ambiente. Eu não ligo para a vida, quando pouco me importa como são feitas as coisas, de onde elas vêm, que resíduos geram, importando apenas se o preço é bom e se as ofertas são generosas para o meu bolso. Eu não ligo que a cada minuto morrem cinco crianças de fome, quando desperdiço alimento deixando comida no prato.

E na medida em que eu não ligo, vou me desligando do todo, transformando-me em um minúsculo e isolado ser, feito um verme a corroer a terra. Mas, quando eu ligo e nós ligamos para todas estas e outras situações equivocadas da humanidade, e nos envolvemos com elas, cuidamos delas, tudo muda, por que passamos a compreender que precisamos estar ligados e cuidar daquilo que realmente importa para a manutenção da vida. A vida pode ser uma máquina complexa da qual somos apenas peças; pode ser um teatro de bonecos onde somos marionetes, ou, então, ela pode ser uma bênção. Vai depender do quanto nos envolvemos e nos preocupamos com ela.


Diretora da Apoema Cultura Ambiental; Coordenadora do Projeto Apoema www.apoema.com.br e editora responsável da revista Educação Ambiental em Ação www.revistaea.org

Fonte: http://www.apoema.com.br/nossas_escolhas__por_bere_adam.htm


segunda-feira, março 13, 2017

59ª edição da revista Educação Ambiental em Ação


CONVITE PARA LANÇAMENTO ON-LINE

A 59ª EDIÇÃO DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM AÇÃO


A primeira condição para modificar a realidade consiste em conhecê-la. (Eduardo Galeano)

Tema: Mudando pela educação ambiental


Março/2017


Em mais uma edição da REVISTA EA EM AÇÃO, trazemos uma vasta produção de materiais que serão devorados rapidamente por leitores ávidos da luz do conhecimento.

A Educação Ambiental movimenta as massas, promove debates, encontros e divulga ideias e ideais. Nestes últimos anos trabalhamos para que o mundo se torne um lugar melhor, para que as pessoas tenham mais paz e sensibilidade; trabalhamos para que o conhecimento seja divulgado e que alcance ao maior número de pessoas possível. A Internet e as redes sociais trouxeram a possibilidade de divulgar valores e conhecimentos com muita rapidez, em um momento estamos buscando soluções, e em outro uma moção pública já percorre a Internet para mudar um caos ambiental.

Esta edição em especial, sendo lançada tão próximo ao dia internacional da mulher, me faz lembrar das lutas vencidas e por vencer que tantas mulheres se submetem todos os dias, pela educação, pela saúde, pela família, por respeito, não somente neste dia oito de março. Quando recebemos um material na Revista, nos encanta a comunicação que temos com os autores, a elegância com que escrevem e a firmeza com que defendem ideias, projetos e resultados.

Cada trabalho divulgado na REVISTA EA EM AÇÃO é resultado de trabalho, perseverança, determinação e solidariedade, de um ou muitos atores, que escrevem, que triam o material, que lêem e avaliam, que publicam na mídia. Neste momento em que o Brasil busca reafirmar sua identidade, neste mês em que as mulheres são homenageadas, a REVISTA EA EM AÇÃO lança mais uma edição, cheia de encantos, de conhecimentos, de aprendizado, de resultados da luta diária de muitos, que por meses se dedicaram a fazer desta Revista um meio de divulgar o conhecimento e nós, da Revista, agradecemos a consideração que sempre recebemos dos autores, agradecemos a confiança e consideramos mais um momento de sucesso chegando aos leitores, cheio de novidades, de encantamento e de consideração com o saber. Somente em equipe atingimos nossos objetivos, melhoramos um coletivo e aprendemos a conhecer a realidade.

Sandra Barbosa e Equipe da EA em Ação