sábado, outubro 30, 2010

O que eu tenho a ver com isso?

O que eu tenho a ver com isso?
Bere Adams

A vida na biosfera se iniciou há bilhões de anos, e quando Cristo nasceu, o ser humano já habitava a Terra há praticamente 100 mil anos, quando a população mundial era equivalente a 200 milhões.

Atualmente somos 6,7 bilhões de pessoas, e algumas projeções científicas indicam que em 2.045 seremos em torno de 10 bilhões de seres humanos habitando a Terra.

Com tantas pessoas vivendo no Planeta, e cada uma delas utilizando recursos naturais para viver, os problemas ambientais se acentuam, atingindo toda a cadeia da vida do Planeta, em todos os contextos. Além de comprometerem a qualidade da vida social, estes problemas comprometem a qualidade do ar, do solo, dos rios, lagos e oceanos, prejudicando todos os ecossistemas promovendo o desequilíbrio ecológico.

E como estes problemas se acentuaram? Há aproximadamente dois séculos iniciou-se a industrialização, incentivada pelas mudanças das fontes de energia (da madeira ao combustível fóssil), ocorrendo uma verdadeira “explosão" da atividade econômica. Assim, a agricultura, as pastagens, as indústrias e seus produtos, transformaram a superfície e a atmosfera do Planeta. A industrialização impulsionou a evolução das cidades pelos aprimoramentos dos transportes: primeiro com navios e trens, e depois com veículos a motor, que proporcionaram a movimentação de pessoas e cargas. Com os avanços da industrialização e da tecnologia, chega uma infinidade de produtos novos, entre eles, os produtos descartáveis, que promovem o crescimento econômico acelerado.

Estes dados são apenas algumas referências que retratam o processo evolutivo do impacto econômico sobre o meio ambiente, e todos nós estamos relacionados, pois somos parte deste sistema. Estes impactos exigem ações reparadoras, preventivas, e requerem grandes mudanças dos hábitos humanos. A Carta da Terra, importante documento que orienta para mudanças planetárias, finaliza com a seguinte frase: "Que o nosso tempo seja lembrado pelo despertar de uma nova reverência face à vida, pelo compromisso firme de alcançar a sustentabilidade, a intensificação dos esforços pela justiça e pela paz e a alegre celebração da vida".

Incentivados pela tomada de consciência ecológica, diante de tantas situações preocupantes que vivenciamos, uma parcela da população já arregaça as mangas e parte para a ação. Uns lutam pela igualdade de direitos, pelo respeito às diferenças, pela não violência. Outros mobilizam ações para a proteção dos animais, pela preservação ambiental, defendem o direito de que cada um possa ter um espaço mínimo para viver, acesso à saúde, escola, educação, alimentação. Porém, outros, muitos outros ainda sacodem os ombros, jogam seu lixo pela janela do possante carro do ano que recém chegou, e apenas sinalizam: "E eu com isso?”.

Fonte: Informativo Apoema 44

Nenhum comentário: