quarta-feira, outubro 27, 2010

Parques e praças pedem socorro

Parques e praças pedem socorro


Bere Adams

Hoje, no jornal de minha cidade, saiu a matéria: ”Floresta Imperial pede socorro para voltar a ser área de lazer”. Finalmente a mídia impressa ouviu esse clamor do parque que está jogado às traças faz muito tempo.

Quando meus filhos eram pequenos, e morávamos em apartamento, o nosso quintal eram os parques e as praças da cidade. Quando íamos ao Parque Floresta Imperial dava gosto de ver o lugar e vivenciar brincadeiras sentindo a natureza como se fosse nossa pele: brincávamos na caixa de areia, rolávamos na grama, jogávamos bola, corríamos de um lado para o outro sentindo o frescor de uma manhã primaveril batendo em nossos rostos, deu saudade...

As fotos apresentadas no periódico apresentam um parque totalmente esquecido, abandonado, largado, lamentável. Mas, por outro lado, certamente a notícia despertará movimentos, como o meu, de agora, escrever para dar apoio a quem não tem voz nem vez: os parques e praças.

Então, pensando em “o que fazer?” para que não fiquemos somente esperando pelas iniciativas do poder público, pesquisei na internet sobre parques e praças degradados e encontrei uma matéria bem interessante, que incentiva uma “Guerrilha do bem” através de “bombas sementes”, e tem lá até a receita que vou replicar logo abaixo, no final do meu comentário.

Unindo esta ideia à outra, penso que seria uma boa dica para professores que aderirem ao projeto Aula na Praça ou no Parque, que pretende divulgar pequenas atividades educativas feitas nestes locais públicos para que as crianças tomem gosto por estes espaços e aprendam a valorizá-los desde bem pequenas.

Fica, então, mais esta sugestão para educadores e para qualquer cidadão que quer fazer sua parte para minimizar os problemas ambientais que são bem próximos.

Esta ação pode ter o mesmo efeito que quando jogamos algo em um lago, cujas ondas circulares que se formam vão se propagando até movimentar toda a água do lugal. Vamos entrar nessa onda?

Veja a matéria:

Para fazer brotar plantas e flores em canteiros abandonados que precisem urgentemente de algum verde

1. Misture num balde duas partes de sementes e três de adubo e depois acrescente cinco partes de argila em pó



2. Jogue água e misture até formar uma massa úmida. Enrole bolinhas de cerca de 2 centímetros



3. Saia pelas ruas e jogue cuidadosamente essas bolinhas em canteiros e praças degradadas



4. As "bombas" carregam nutrientes suficientes para que os brotos comecem a crescer em solo pobre - é só esperar as próximas chuvas


Veja matéria completa em http://bit.ly/LZHcX

Bem simples, não?
É na simplicidade encontramos a resposta para muitos problemas complicados. Bere Adams.

Nenhum comentário: