segunda-feira, novembro 01, 2010

Que sejamos todos parceiros por um Brasil melhor


Bere Adams

Ontem, antes de computados os resultados das eleições, ouvi uma analista política falando sobre nossos candidatos à Presidência da República (debates desgastantes, denúncias e confrontos improdutivos, falta de debate sobre questões econômicas...) e destacou que, apesar disto, os dois candidatos possuem condições de liderarem nossa nação, e que nós, como cidadãos brasileiros, deveremos, a partir dos resultados, apoiar aquele que sair vitorioso, mesmo que este não seja o nosso candidato, pois, afinal de contas, o eleito é quem irá governar o País por 4 anos.

É verdade! Precisamos agora deixar as diferenças de lado, ou melhor, unir as nossas diferenças para fortalecer a nação com a nossa rica diversidade cultural, e proteger a vida socioambiental e a biodiversidade do País.

Não é porque vivemos em uma democracia que todos são ouvidos e atendidos. A democracia ouve a maioria.

Os resultados por Estados mostram um País visivelmente dividido que, a partir de hoje, com o nome que nos representará por 4 anos, deverá se unir pelo bem da prosperidade do País.

Chega de falatório, de críticas exageradas, de ideias catastróficas, de pré conceitos.

Durante estes meses de campanha minha caixa postal de correio eletrônico lotava diariamente com mensagens absurdas, tanto de eleitores de um, quanto de outro candidato, e sinceramente fiquei pasma com a abundância de acusações e críticas, de um lado e de outro, uma guerra de palavras mal escritas.

Durante estes meses de campanha nunca recebi uma mensagem sobre os candidatos à Presidência que tratasse educadamente sobre os planos de governo, metas, desafios, projetos, pois isto sim convida o povo a conhecer e poder escolher qual candidato vai melhor lhe representar.

Que possamos, então, com nossa nova Presidenta, melhorar o País, a começar pela Saúde (tanto da população como do meio ambiente, pois nossa saúde depende da qualidade do ambiente em que vivemos) e pela Educação (principalmente das crianças bem pequenas, valorizando a Educação Infantil e o Ensino Fundamental), sem esquecer que somos peça fundamental para o fortalecimento de nossa cidadania, e somente participando ativamente das questões essenciais do bem estar social e ambiental poderemos esperar a mudança que desejamos, pois ela começa em cada um. Gandhi já dizia: “Devemos ser a mudança que desejamos ver no mundo”!.
 





Abraços, Bere.

Nenhum comentário: