quarta-feira, maio 11, 2011

O dia "D" das florestas brasileiras

O dia "D" das florestas brasileiras

Coletânea de imagens e charges que denunciam abusos florestais  

"O desmatamento na Mata Atlântica no período de 2002 a 2008 foi de 2,7 mil quilômetros quadrados, com uma taxa média de 457 quilômetros quadrados por ano, conforme dados do Centro de Sensoriamento Remoto do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), o órgão responsável por monitorar e fiscalizar crimes ambientais. Os números só foram possíveis porque o governo ampliou o monitoramento do desmatamento por satélite para todos os biomas brasileiros, a exemplo do que faz em relação à Amazônia". 

"Em 2010, o Ministério do Meio Ambiente publicou um manual de Boas Práticas para a Mata Atlântica, que segue os princípios da Lei da Mata Atlântica, que entrou em vigor em 2006 e o Decreto da Mata Atlântica, de 2008. Em suma, a legislação permite somente o uso seletivo da floresta atlântica e coíbe qualquer forma de desmatamento".

Restam "ainda" menos de 5% da Mata Atlântica original.


Mas... o desmatamento prossegue crerscendo no mesmo ritmo que o futebol brasileiro...


Muita terra já se tornou improdutiva, de tão abusada que foi...

 
E as consequências não param de chegar...

Os rios sem seus cílios...

Lá se vão nossas florestas...


"O Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) divulgou dados que demonstram o crescimento do desmatamento na região amazônica em dezembro do ano passado em comparação ao mesmo mês do ano anterior. Foi registrado desmatamento de 175 km² de floresta em dezembro de 2010. O pesquisador Adalberto Veríssimo ressalta que as hidrelétricas do rio Madeira são potenciais responsáveis pelo desmatamento da Amazônia e que deveria existir uma fiscalização mais forte na área".

Quem pensa nas crianças, e o que pensam elas disso tudo? E as queremos super educadas!!!

"Obras de reestruturação, como as rodovias BR-319 e a Transamazônica, também influenciam no aumento do desmate da floresta, o que caracteriza a região de Lábrea – sede das duas grandes obras - como uma das mais preocupantes. Outra região que apresentou aumento significativo foi o Mato Grosso, uma vez que o Ministério Público do Pará atenta para o investimento extensivo na pecuária".

"A má notícia é de que estes números podem ser ainda maiores, já que apenas 30% da floresta puderam ser monitorados, devido a dificuldades de visualização e análise".


"A marca de florestas degradadas (parcialmente destruídas) é de 541 km² em dezembro e 376 km² em janeiro, apresentando aumento em relação ao mesmo período em anos anteriores".



Que modelo de desenvolvmento é este?


 
Um modelo insustentável, que não combina com equilíbrio ambiental...


 
Confesso que quando chegava pela primeira vez em Mato Grosso do Sul senti examente a mesma coisa!!!

Isto que estamos em pleno Ano Internacional das Florestas

2011 -  Ano Internacional das Florestas

Um comentário:

ThisIsMannu disse...

muito bom esse material, é lamentável que o governo faça o monitoramento e não impeça que a mata seja desmatada.Nossa sociedade precisa se unir para que isso não aconteça mais, vou falar com o pessoal do meu colégio para fazermos alguma coisa.