segunda-feira, dezembro 26, 2011

Receita de Ano Novo!


Um 2012 iluminado para todos! Abraços, Bere.


Receita de Ano Novo!
Carlos Drummond de Andrade


Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor de arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser,
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegrama?).
Não precisa fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar de arrependido
pelas besteiras consumadas
nem parvamente acreditar
que por decreto da esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.
Para ganhar um ano-novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.




Fonte: http://espacoacademico.wordpress.com/2011/12/24/poemas-de-carlos-drummond-de-andrade/

sexta-feira, dezembro 23, 2011

Feliz Natal com Alface dos Deuses

Escolhi este texto de Nadia Cozzi, parceira de ideais há muitos anos, para compartilhar com vocês pela sua sensibilidade e simplicidade de encontrar alegria em um pé de alface, lindo. Agora, sempre que eu olhar para as "alfacinhas" do Pedro, vou lembrar dessa história. Para ficar melhor ainda, Nadia nos dá uma receita especial: Alface dos Deuses (pelo nome, promete). E eu vou experimentar na Ceia de Natal. Espero que gostem como eu gostei do sabor orgânico desse texto! Abraços, Bere Adams.


A força dos alimentos orgânicos – Faça o teste em sua casa!

18 de julho de 2011 | Nas Categorias: Alimentação Saudável | Por: Nadia Cozzi


Sabe aquelas semanas que a gente não tem tempo nem para respirar? Pois é, a minha foi assim, tão corrida que não havia tempo nem para fazer uma coisa que eu gosto muito e me distrai e relaxa: cozinhar! Saia de manhã, passava o dia todo atarefada e quando chegava à noite era um lanche ou no máximo uma sopinha para afastar o frio.
Foi assim que minhas queridas verdurinhas ficaram lá esquecidas, em especial um pezinho de alface lisa que não teve espaço. Nossa até pensava nele, mas não tinha tempo ou não estava com vontade de fazer uma daquelas “saladonas” que eu adoro.Bem, mas no sábado resolvi encarar o coitadinho, devia estar todo estragado, que judiação, afinal estava guardado há mais de uma semana!
Qual não foi a minha surpresa quando abri a gaveta da geladeira e lá estava ele, lindo, verde, crocante, como se eu tivesse acabado de comprá-lo. Agradeci muito à Mãe Natureza por aquele presente. Como um alimento quando é produzido com respeito à Terra, preservando e cuidando, devolve em qualidade!
Fiz a maior festa para o meu pezinho de alface, mostrei para todo mundo, divulguei a qualidade dos Alimentos Orgânicos e ainda zombei daqueles que não acreditam muito neles: Será que eles são mesmo mais caros? Vocês já experimentaram deixar uma alface convencional uma semana na geladeira? Fica que é só um caldinho escuro e mal cheiroso! Olha esse aqui que lindinho! Até fotografei para vocês aqui do Blog. Depois é claro montei uma salada bem gostosa e lá vai a receita:


Alface dos Deuses
Ingredientes:
  • ½ alface lisa orgânica
  • ½ alface crespa orgânica
  • ½ alface americana
  • 1 maçã orgânica picada em cubinhos
  • Uvas passas e castanhas a gosto
  • 6 fatias de pão de forma caseiro s/casca
  • 2 colheres (sopa) de manteiga
  • 1 xícara (chá) de creme de leite fresco
  • 2 colheres (sopa) de maionese (prefira a caseira)
  • 2 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado na hora
  • ½ xícara (chá) de azeite extra virgem
  • 1 dente de alho
  • Suco de 01 limão ORGÂNICO para o molho
Modo de Preparar:
Lave as alfaces em água corrente. Deixe de molho numa tigela com água filtrada e um pouco de vinagre de maçã por 20 minutos.
Corte o pão em quadrados bem pequenos, mas iguais. Coloque 2 colheres de sopa de manteiga numa frigideira e leve ao fogo para derreter. Adicione os cubinhos de pão. Deixe dourar, mexendo de vez em quando para não queimar. Retire do fogo, passe para um prato e reserve. Se gostar salpique orégano.
Coloque com todos os ingredientes no liquidificador, menos os cubinhos de pão, as alfaces, a maçã, as passas e as castanhas. Bata por 2 minutos, até ficar um creme. Seque as folhas com papel toalha e rasgue-as em pedaços médios. Arrume numa saladeira, coloque a maçã, as passas, as castanhas e regue com molho e salpique os cubos de pão.
A maionese que eu fiz foi uma receitinha bem fácil.

Maionese Falsa

  • 1 xícara (chá) de batatas orgânicas cozidas e picadas
  • 1 xícara (chá) de cenouras orgânicas cozidas e picadas
  • 2 colheres (sopa) de leite fresco
  • 1 cebola ORGÂNICA picada
  • Sal marinho e pimenta a gosto
Modo de Preparar:
Bata tudo no liquidificador e vá pondo o azeite extra virgem ou óleo de girassol até chegar ao ponto de maionese.
Dica preciosa: O óleo de girassol é saudável e não é transgênico. Cuidado com o de soja, canola ou milho.

Teste a força dos alimentos orgânicos em sua casa!

Tem uma experiência que sempre faço em meus cursos sobre Culinária Orgânica para que meus alunos possam comparar as diferenças entre os Orgânicos e os Convencionais cheios de Agrotóxicos.
Pegue 06 potinhos de vidro iguais, secos e limpos. Pode ser de palmito ou um pouco menor, mas tem que ser iguais. No 1º coloque ½ tomate orgânico, no 2º ½ convencional, no 3º uma folha de alface orgânica, no 4º uma folha de alface convencional, no 5º um pedaço de cenoura Orgânica, e finalmente no 6º um pedaço de cenoura convencional. Feche e coloque etiquetas em cada um identificando a data e se é orgânico ou convencional.
Deixe em um lugar onde você possa observar as mudanças que vão acontecendo dia após dia. Os orgânicos normalmente duram mais, mantém as fibras e se tiverem coragem de cheirar, vão sentir o cheiro de agrotóxico dos convencionais. Da última vez que fiz esta experiência a cenoura orgânica brotou dentro do vidro, enquanto que a Convencional apodreceu, virou um monstrinho. Vale a pena fazer esta experiência principalmente quando se tem pessoas incrédulas em casa que ainda acreditam que Orgânico é coisa da Moda.

terça-feira, dezembro 06, 2011

Um jogo muito especial: O Jogo da Carta da Terra

Recentemente em um evento tive a imensa alegria de passar uns dias na companhia da Patrícia Abuhab, idealizadora do jogo da Carta da Terra e na ocasião aproveitei para adquiri-lo. É fantástico. Assista ao vídeo para conhecer mais detalhes e já fica a dica para um presente de Natal, para crianças, para toda família, instituições, etc. É um jogo cooperativo que realmente sensibiliza.




Jogo da Carta da Terra from Instituto Harmonia na Terra on Vimeo.

O endereço do Instituto Harmonia na Terra, para adquirir o jogo (aproveite para conhecer os outros materiais) é:http://www.harmonianaterra.org.br/




Nota à população que vive e trabalha na Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos


RIO SUSTENTÁVEL COM A PARTICIPAÇÃO DE TODOS
COMO FAZER A SUA PARTE?


(Foto do Rio dos Sinos - Bere Adams)


A condição das águas da Bacia do Rio dos Sinos está extremamente crítica devido à ausência de chuvas. Com a diminuição da quantidade de água, a sua qualidade também piora porque ela não consegue diluir toda a carga que é lançada diariamente nos arroios e rios que formam a malha hídrica. 


A nossa Bacia ocupa 1,3% da área do Estado, mas atende cerca de 13% da população gaúcha, onde se produz mais de 15% de toda a riqueza (PIB) do Rio Grande do Sul. Por isso, os recursos hídricos locais são utilizados por diversos setores (indústria, agricultura e outros), alguns dos quais já tomaram medidas para reduzir a quantidade de água que é captada dos rios. Além disso, o racionamento no fornecimento de água para a população que vive e trabalha na Bacia Sinos já é uma realidade em parte dos municípios da região. 


Por isso, nesta hora é importante que cada pessoa tenha em mente que todos temos um papel fundamental frente à crise pela qual passa a Bacia do Sinos. E, da mesma forma, todos precisam contribuir para a redução do consumo de água.
Considerando a média gaúcha de 150 litros diários de água consumidos por cada pessoa (para beber, na higiene pessoal, descarte de esgotos, limpeza das residências, lavagem de roupa, para preparação de alimentação, etc)*, apostamos que é possível, com um esforço coletivo, reduzir esse consumo em um terço, passando para 100 litros/dia por pessoa. 


O que poderia aumentar em 5% o volume da água do Rio dos Sinos em épocas de pouca chuva.


Mas como saber quanto cada um consume de água? É simples: basta acompanhar a fatura de água mensal.
Para consumir 100 litros por pessoa por dia, para 30 dias teremos 30 x 100 litros = 3.000 litros ou 3 metros cúbicos (m3) por mês.


Assim:
1 pessoa - 3 m3/mês
2 pessoas - 6 m3/mês
3 pessoas - 9 m3/mês
4 pessoas - 12 m3/mês
5 pessoas - 15 m3/mês


Vamos participar?


(*) Dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) - www.snis.gov.br

Castor Becker Júnior
Jornalista
Reg. prof. 8862/DRT-RS
(51) 9826-3226

COMITESINOS
Ramal Interno: 5508
Fone Externo: 51 3590.8508
Site: www.comitesinos.com.br