domingo, maio 26, 2013

Quando o verde é a cor da ganância

Quando o verde é a cor da ganância



Quando nos perguntamos o porquê do mundo estar assim, com graves sintomas de “esquizofrenia crônica”, levantamos as mais diversas hipóteses, entre elas: o ser humano perdeu valores essenciais com a era do consumo; a honestidade é banalizada e ridicularizada; tudo é descartável, desde objetos até pessoas, quando não servem mais. Teríamos, ainda, muitas outras hipóteses que poderiam justificar o caos atual estabelecido em praticamente todas as esferas da vida. Porém, a principal causa para toda esta situação planetária é a ganância. Se não fosse pela ganância, muita coisa estaria no seu devido lugar, muito desperdício seria evitado, não haveria tanto descarte e a coletividade receberia a atenção que merece. E de onde vêm esta ganância, se não do poder?

Já dizia Paulo Freire que o maior sonho do oprimido é ser o opressor, e sobre isto, Abraham Lincoln concluiu que se quisermos conhecer o caráter de alguém, basta dar-lhe poder. E é aqui que reside a causa da ganância, e de muitos males do nosso tempo, que transforma a vida em nada menos do que um círculo vicioso de querer sempre mais, gerado pelo poder.

Estamos perdendo nossas referências como seres dotados de emoções, de sentido, de vida, e passamos a ser marionetes de um sistema que está se degradando na mesma medida em que degrada a sociedade e o meio ambiente. Enquanto tantos lutam por um mundo melhor, por leis efetivas, por participação, por preservação, por conscientização, por cidadania, nossos representantes políticos, sem dó, nem piedade, promovem a degradação da sociedade, a degradação da educação, a degradação ambiental em troca de presentinhos, mimos e grana, muita grana. E as manchetes diárias não negam isso. Recentemente, em uma operação contra crimes ambientais realizada pela Polícia Federal no nosso RS, foram presas 17 pessoas ligadas a área ambiental. Realmente, tem pessoas gostam muito do verde, porque a cor verde simboliza, também, a cor do dinheiro e a cor da ganância.

Berenice Adams

Pedagoga especialista em Educação Ambiental bere@apoema.com.br

Um comentário:

Rosalia Hoffmamm disse...

E bem isso mesmo exeleste texto define muito bem o sem vergonha mau caráter ilegítimo presidente Temer